quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Tarcísio...

Toda a saudade que há
A minha alma que ainda chora
Rios de lagrimas e ainda implora
Como se quisesse ver teu sorriso
Inda querendo teu olhar tão preciso
Sabendo que isso não mais haverá
Isso é a dor que sei, ainda irá
Onde eu for, tal qual o vício
...Meu coração enterrado está
...Junto com meu amado TARCÍSIO.

Esse verso foi feito em 2006, em homenagem a uma pessoa que amei, que hoje está num plano superior. Como Álvares de Azevedo, preciso de inspirações de mortalhas, nostálgicas, depressivas... Mostrando a carne trêmula e o coração sangrando, sem nenhum fingimento.

Um comentário:

Patricia disse...

Rafa! Vc é uma poetisa!!!!
Parabéns!
Beijosss
Patrícia Chagas